Skip to Content

Antes de mais nada… O que é o SAP TDF?

 

O SAP Tax Declaration Framework (TDF) é a nova plataforma de gestão fiscal da SAP, cujo objetivo é aumentar a qualidade das informações, bem como aumentar a produtividade dos departamentos fiscais e financeiros, possibilitando que as empresas no Brasil atendam aos requerimentos legais quanto ao reporte do SPED Contábil, SPED Fiscal, e-Social, ECF e SPED Contribuições.

 

O TDF utiliza a plataforma in-memory SAP Hana para consolidar os dados fiscais com uma governança completa e integrada com os sistemas ERP, isto significa que não é necessário interface para extração ou migração de dados complexas. Com o TDF os dados são sincronizados de forma automática com sistemas SAP e não SAP, e são remodelados em memória através de views. Dentre as vantagens, temos além do rápido processamento dos dados, a utilização da análise preditiva, dashboard analítico, integração com dispositivos móveis entre outras facilidades.

Como é o dia-a-dia da área fiscal?

 

A cada mês a área fiscal tem um volume massivo de dados e informações que precisam ser declarados apenas alguns dias após fechamento do período fiscal. Gerando desta forma necessidade de consumir mais recursos para realizar análise e manutenção de dados e prepara-los para envio das obrigações acessórias.

 

Para realizar o fechamento fiscal, as empresas em geral recorrem a softwares complementares fornecidos por parceiros SAP, onde a maior parte das informações são geradas no SAP e extraídos para o sistema dos parceiros.  E aqui esta primeira desvantagem: a extração de dados não é padronizada e não acontece em tempo real, oferecendo uma defasagem de dados. Este fator compromete a visibilidade e transparência dos processos  pelo tempo insuficiente da área fiscal de realizar um planejamento e ação para os problemas encontrados.

Como TDF pode ajudar?

 

Screen Shot 2015-07-31 at 12.04.01 AM.png

   Fonte: SAP

Benefícios:

  • Geração do arquivo digital conforme layout definido pela receita federal
  • Minimiza o risco e melhora a acuracidade das informações
  • Analise dos dados em tempo real
  • Redução da complexidade da arquitetura
  • Otimização do crédito e recuperação de impostos
  • Aumento da produtividade dos recursos do departamento fiscal
  • Redução em multas por não conformidade

Veja novidades entregues via SP:

TDF – SP05 Novidades e Melhorias

TDF SP06 – What’s new

TDF SP07 – What’s New

Escopo:

 

Central Tax Repository

O CTR no Hana recebe dados de diferentes fontes e consolida tudo em um modelo único baseado nos layouts do SPED. Tanto o TDF quanto as soluções de parceiro fazem uso do CTR para diferentes propósitos como: gerar os relatórios do SPED, auditar notas fiscais, etc. Ele não replica os dados, somente sincroniza estes via SLT ou via SAP Data Services

Possui dois tipos de estrutura de dados para os documentos fiscais: tabelas e visões de cálculo. Estes são subdivididos em subtipos conforme abaixo:

Tabelas

• Tabelas padrão do SAP ERP – Os desenvolvedores não devem consumir as tabelas padrão nos programas, ou seja, aplicações front-end.

• Tabelas CPL – tabelas complementares não existentes no ERP (lista proximo slide)

• Tabelas “Sombra” – tabelas usadas para alterar informações que não são possíveis no ERP e tem prioridade sobre os dados formados a partir de tabelas de ERP SAP. Além disso, é possível inserir dados que não está disponível no ERP SAP diretamente para as tabelas de sombra.

Visões de Cálculo

• Visões Privadas – dados são consumidos somente pelo CTR – Os desenvolvedores não devem consumir as tabelas padrão nos programas, ou seja, aplicações front-end.

• Visões de Reutilização – dados podem ser consumidos por programas ABAP, isso é possível porque o HANA Vista está sincronizado com NetWeaver.

• Visões de Report – visões de registro do ECF, EFD IPI/IPI, EFD Contribuições, ECD.

TDF – Transação /TMF/CTR_TECH_INFO – Parte 01

TDF – Transação /TMF/CTR_TECH_INFO – Parte 02

 

 

Persistência de documentos fiscais

Agora foi disponibilizada uma nova BAdI para suportar a persistência dos dados bem como a manutenção/visualização das informações nas telas da NF-e.  Desta forma é possível armazernar dados do XML e estes ficam disponíveis no CTR e ERP. A nova solução provê:

• Nova BAdI para suportar a persistência dos dados: J_1BNF_ADD_DATA

• Novos campos na tela de NFe para input manual e visualização

• Melhor padronização no mapeamento dos novos campos para o XML

Saiba mais acessando este link:

TDF – Persistencia de DF-e

 

 

Novos campos nos dados mestres

Foram criados novos campos no ERP para os dados mestres de cliente, fornecedor, material, filial. Alguns dos novos campos estão disponíveis para exceção dinâmica (IS-OIL também suportada devido as adições para KOMK e KOMP). E novos campos estão disponíveis na estrutura da princing (KOMK e KOMP).

Os campos relevantes são mapeados para os documentos fiscais eletrônicos

Exemplo dados mestres de clientes, novos:

• Suframa

• CNAE

• Legal Nature (Natureza Jurídica)

• CRT (cod. Regime Tributário)

• ICMS Tax Payer Type

• Industry Main Type

• Tax Declaration Type

• Company Size

• Declaration Regimen for PIS/COFINS

• RG number, issued by, state, date

• RIC number

• RNE number

Dados de Classificação Fiscal

Dicas sobre novos campos de dados mestre cliente/fornecedor

 

Validação Online

Auditoria em tempo de execução através de regras avaliando a qualidade das informações.

Para garantir a integridade dos dados transacionais criados pelo usuário em sua atividades diárias, foi conectado um motor de regras BRF+ e diversos pontos do sistema:

• Manutenção de dados mestres

• Ordem de venda

• Remessa

• Fatura

• Ordem de compra

• Movimentação de material

• Verificação de fatura

• Nota Fiscal

Saiba mais acessando estes links:

Validação Online com TDF

TDF – Validação Online – Ex. Mestre de Materiais

 

Monitor de Obrigações Fiscais

O conceito de execução-oficial de uma obrigação oficial, introduz para a integração com o Monitor de Obrigações Fiscais. Uma vez marcado para execução oficial algumas validações irão ocorrer como por exemplo: se o Período fiscal está no relatório de status, bem como se já existe outra execução oficial em processamento com a mesma chave.

Este serviço irá controlar o status de cada obrigação a ser gerada tanto pelo TDF quanto pelo software de parceiro. Além disso os arquivos podem ser mantidos de forma segura na base de dados.

Você utilizará o monitor de obrigações fiscais para:

  • Verificar o status de cada obrigação que está sendo gerada, preparada e entregue às autoridades fiscais
  • Controlar obrigações geradas pela solução SAP (EFD e ECD) e de parceiros
  • Manter obrigações em um repositório seguro
  • Acessar o repositório de arquivos para armazenar:

Obrigações no seu formato original

Obrigações no formato de entrega

Confirmação de entrega recebida das autoridades fiscais

Qualquer outro arquivo auxiliar usado parar gerar as obrigações

Execução de relatórios SPED com TDF SP05

TDF – TOM API Versão 2.0

Melhorias no SAP ERP

Determinação do IVA de MM:

  • Tipo de condição NAVS (MM)
  • Opcional DSM (BRF+)
  • Adições feitas pelo TDF para determinação do tax code para o Brasil

Determinação do IVA de SD:

  • Adições do TDF para determinação de impostos em SD:  Novos campos na aba “Country”, BAdI automática para (re)determinação e BAdI definir redeterminação
  • DSM (BRF+)

Saiba mais acessando estes links:

Implementando TDF – Condição NAVS x BRF+

Implementando TDF – Determinar Tax Code no Pedido de Compra – Tipo de condição NAVS

Implementando TDF – Determinar Tax Code no Pedido de Compra usando o BRF+ – PARTE 1

Implementando TDF – Determinar Tax Code no Pedido de Compra usando o BRF+ – PARTE 2

SAP Tax Declaration Framework – Melhorias em SD

 

Contabilização de NF writer

Alguns processos no Brasil requerem a criação de nota fiscal com contabilização, mas não possuem processo correspondente em MM, SD ou nas transações de FI.

São alguns exemplos:

• Transferência de crédito de ICMS entre filiais

• Nota Fiscal complementar de impostos

• Remessas ou retornos de materiais sem controle de estoque ou dado mestre de material

Para estes processos, o TDF oferece a opção de emitir NF writer com contabilização automática.

TDF – Contabilização automática de NF writer em 10 min!

 

Ajuste de inventario

No Brasil, o processo de ajuste de estoques pode requerer a criação de uma Nota Fiscal assim como também calcular os impostos. Isso depende de cada estado bem como da interpretação jurídica da empresa. As regras variam de Estado para Estado foi entregue uma solução bem simples e flexível para configurar o ajuste físico.

 

CIAP

O CIAP é parte da solução SAP TDF (Tax Declaration Framework). O propósito é utilizar o HANA na execução dos relatórios fiscais que são enviados ao governo periodicamente. Os dados do CIAP alimentam diversas views que serão utilizadas principalmente para relatar as informações do bloco G do SPED EFD Fiscal (ICMS / IPI).

TDF – CIAP Documentation

 

Entrega das obrigações Sped

Entrega das obrigações acessória nativas no Hana: ECD, EFD ICMS/IPI, EFD Contribuições, ECF, e-Social.

TDF – Escrituração Contabil Fiscal (ECF)

TDF – Passo-a-passo para gerar o ECF

Passo-a-passo para execução do SPED EFD ICMS/IPI no TDF

TDF – Passo-a-passo para execução do SPED EFD-Contribuições

TDF: Uso de notas fiscais de serviço no SPED EFD-Contribuições

TDF – Transação /TMF/TRACE_LOG

 

 

Quer saber mais? Consulte a lista abaixo:

Vídeo:

HANA Academy – Replicando dados do sistema SAP em SAP HANA com SLT

TDF – Vídeo sobre Estrutura Organizacional

TDF – Vídeo: Apresentação de uma ficha de CIAP

Blogs do espaço: SAP HANA (Portuguese)

Implementando SAP TDF – Replicando os dados com SLT

TDF: Preparando filtros SLT

SLT e TDF – Ponto ideal de colocar os filtros

Explorando views TDF com o SAP HANA Live Browser

TDF – Conhecendo e entendendo o OrgStr

Help da SAP:

SAP Tax Declaration Framework for Brazil – SAP Help Portal Page

TDF – Melhorias de Segurança

Tem idéias para mudanças, melhorias, alterações na solução do TDF? Adicione sua usgestão para ser votada no Idea Place e vote na sugestão de seus colegas!!!

Idea Place de TDF: Novo canal para sugerir mudanças/melhorias para a SAP

 

Novidades vou atualizando este blog para mante-lo como um guia de referência!

Um grande abraço!

Karen Rodrigues

To report this post you need to login first.

15 Comments

You must be Logged on to comment or reply to a post.

  1. Eduardo Kyono

    Oi pessoal

     

    Focando na pergunta principal “por onde começar” eu diria que seriam os seguintes passos:

     

    1) verificar o landscape do cliente: quantos ambientes ECC produtivos, quais empresas / filial que estão no ambiente, se existem dados de origem externa ao SAP, etc.

    2) entender qual será o escopo do projeto: CIAP? EFD? ECD?etc.

    3) com os dois pontos anteriores você deverá fazer uma série de entrevistas com o cliente para detalhar o processo e com isso ter um panorama do que precisa ser colocado no roadmap de implementação e quais as necessidades que as soluções complementares terão.

    4) já em projeto replicar a base do cliente e extrair as informações para avaliar a qualidade de dados: com isso você saberá onde precisa atuar no SAP ECC para ajustar os processos caso seja necessário

     

    Espero ter ajudado

     

    Abraços

     

    Kyono

    (1) 
    1. Eduardo Chagas

      Oi Kyono.

       

      Concordo com você e talvez o nome do blog deveria ser outro…. “Iniciação ao TDF” kkkkk


      Acho um risco grande o seu item 4. É mais ou menos como querer olhar pela primeira vez todos os itens de segurança quando o avião já está na cabeceira da pista.


      Enfim… vou dar meus 2 centavos de experiência ao bate-papo…


      Eu recomendo principalmente quando se trata de projeto fiscal que a própria empresa faça antes um projeto de negócio para entender o seu cenário atual com base em fatos e dados.

       

      Entender por exemplo (reforçando… com base em fatos e dados):

      Quais são os problemas atuais e que requerem manutenção em seu sistema fiscal?

      Quais são as tratativas existentes nas interfaces?

      Quais são os erros que acontecem ao passar os arquivos pelo PVA?

      Quais são e como são preenchidos os registros no sped?

      Qual o volume de dados e tempo para gerar as obrigações?

       

      Ou seja, antes de começar o projeto de TDF… deve ser feito o dever de casa!

       

      Quebrar o projeto em diversas ações ou outros projetos, já que MUITAS vezes não será o sistema que irá resolver o problema! E, sim uma revisão de cadastros, de processos, de atividades…

       

      Desta forma fica mais fácil inclusive, de viabilizar o projeto de TDF dentro das empresas.

       

      Mas isso é um assunto longo…. e tão relevante que merecida um blog! Ou um documento criado a varias mãos!!!

       

      Abraço

      Eduardo Chagas

      (0) 
      1. Karen Rodrigues Post author

        Ola pessoal!!!

         

        Excelente discussão!!! Realmente o titulo não esta tão aderente ao conteúdo aqui exposto, vou pensar em outro e altera-lo.

         

        Itens aqui expostos são interessantes, mas considero a ponta do iceberg considerando tudo que é necessário para implementar o TDF. Confesso que adorei a idéia do blog para contemplar este item, e com background fiscal e a experiência no TDF, estarei montando um material para compartilhar com os colegas e que todos poderão contribuir e enriquecer o tema aqui na nossa comunidade.

         

        Obrigada a todos e grande abraço!!!

         

        Karen Rodrigues

        (0) 
  2. Eduardo Kyono

    Oi Eduardo.

     

    Concordo contigo que o passo 4 é realmente bem delicado, mas é importante ser realizado no inicio do projeto para garantir que todos os pontos importantes estão sendo devidamente mapeados e onde seria interesssante colocar regras do BRF+, por que muitas vezes os clientes não tem idéia de quais os problemas que eles possuem

    (0) 
    1. Karen Rodrigues Post author

      Ola Kyono!!!

       

      Concordo tecnicamente com você, entretanto, considerando que trata-se de um projeto fiscal outros itens e considerações (alguns mencionados pelo Eduardo) devem ser avaliados antes para garantir o sucesso e aderência do projeto…

       

      Fiquei muito empolgada com a discussão aqui, logo (desafio tempo) quero contribuir neste ponto.

       

      Obrigada,

      Karen Rodrigues

      (0) 
      1. Eduardo Chagas

        Você tocou no ponto chave na minha opinião!

         

        Implementação do TDF é um projeto muito mais de negócio do que da tecnologia em si! Obvio que é preciso ter alguns cuidados já que existem uma infinidade de segmentos de negócio com suas regras fiscais e contábeis que o TDF pode não atender de forma satisfatória!

         

        Mas como falei… fazendo o dever de casa antes, ficará tudo mais fácil!

         

        Eduardo Chagas

        (0) 
    2. Eduardo Chagas

      Exatamente.

       

      Um ponto (na verdade vários) interessante que tenho visto em muitas empresas é que com a entrada do SPED a área fiscal delegou para consultoria de soluções/especialista fiscal a atividade de fazer tudo. Algo do tipo… toma que é tudo com vc! Entrega os arquivos! E, como vc disse… a empresa não tem conhecimento sobre o que existe ou como foi feito. Do outro lado… vemos consultores SAP que não tem o expertise fiscal que as consultorias especialistas possuem.

       

      Ou seja, a mudança para o TDF é delicada!

       

      Outro ponto que tenho visto é que as empresas estão cortando caminho e indo direto para o TDF sem antes olhar ou corrigir os problemas na origem. Garbage in, garbage out!

       

      Acho que ja fazem 3 anos que a SAP liberou as melhorias de ERP! Campos novos, badi nova… e o pessoal colocando TDF sem isso! :-O

       

      Abraco

      Eduardo Chagas

      (1) 

Leave a Reply