Skip to Content
Personal Insights

Passo a Passo da configuração e lançamentos dos Impostos Retidos na Fonte para serviços no SAP

Neste blog explicarei através de 4 vídeos e 1 aula completa as principais configurações e processos com Impostos Retidos na Fonte Ampliados (IRF) aqui no brasil.

Sabemos que toda a parte de serviços necessita desses impostos que são atribuídos nos dados mestres e Clientes e Fornecedores para poder fazer as retenções na fonte do imposto de renda IR, Imposto sobre o serviço ISS, Instituto Nacional do Seguro Social INSS, e durante a baixa temos PIS, COFINS e CSLL. Estes últimos são impostos exclusivamente financeiros.

A Nota da SAP 1706309 da CBT descreve essa funcionalidade para impostos retidos e possui arquivos em PDF com a configuração completa para impostos acumulados: IR, PIS, COFINS e CSLL.

A grande característica dos Impostos Retidos na Fonte Ampliado é que ele não é atribuído durante a operação de faturamento ou compra, ou seja, na entrada ou na saída da Nota, mas sim no dado mestre de forma fixa. Assim sendo toda operação para os Clientes e Fornecedores de serviço terá lançamentos dos impostos lançados conforme atribuídos nestes dados mestres, salvo aqueles impostos acumulados que possuem condições de cálculo definidas na transação J1BTAX pela tabela J_1BTXWITH.

 

Vídeos:

 

Vídeo 01 – Como configurar Imposto Retido na Fonte – IRF (Duração 00:10:45)

Vídeo 02 – Como configurar Imposto Retido na Fonte – IRF #02 (Duração 00:08:58)

Vídeo 03 – Como configurar Imposto Retido na Fonte – IRF #03 (Duração 00:09:35)

Vídeo 04 – Como configurar Imposto Retido na Fonte – IRF #04 (Duração 00:05:40)

Vídeo 05 – Passo a Passo da configuração e lançamentos dos Impostos Retidos na Fonte para serviços no SAP (Duração 01:08:54)

 

➡️ Vídeo 01 – Como configurar Imposto Retido na Fonte – IRF (Duração 00:10:45)

Introdução – Imposto Retido na Fonte Ampliado são os impostos que aqui no Brasil recolhem e recuperam impostos de serviço: IR, ISS, INSS, PIS, COFINS e CSLL.

Nesse vídeo vou começar falando da nota 1706309 (CBT).

Este vídeo é parte uma série extremamente importante sobre COMO CONFIGURAR IMPOSTO RETIDO NA FONTE – IRF.

 

➡️ Vídeo 02 – Como configurar Imposto Retido na Fonte – IRF #02 (Duração 00:08:58)

Diferença entre IRF para o IVA – No IVA você tem o imposto atribuído na operação. No Imposto Retido na Fonte a atribuição é feita no Dado Mestre de Cliente e Fornecedor que é representado como parceiro de Negócio – BP, no S/4HANA.

Nesse vídeo vou começar a falar do Imposto de Renda Autônomo, um imposto que tem a tabela progressiva, deste modo, tem uma COMPLEXIDADE maior na configuração. Então bora prestar bem atenção nesse vídeo.

 

➡️ Vídeo 03 – Como configurar Imposto Retido na Fonte – IRF #03 (Duração 00:09:35)

Imposto de Renda Retido na Fonte – Na configuração da categoria de Imposto de Renda Autônomo Pessoa Física mostrei como se configura as dependências desse imposto, inclusive as dependências referentes a tabela progressiva com diferentes faixas salariais.

Vou agora mostrar para vocês os impostos de regime de caixa que são os impostos do momento do pagamento, impostos financeiros, conhecidos como PIS, COFINS, CSLL.

➡️ Vídeo 04 – Como configurar Imposto Retido na Fonte – IRF #04 (Duração 00:05:40)

Impostos no setor Financeiro (PCC) – Os impostos PIS, COFINS e CSLL ficam atribuídos ao BP e não a operação através do IVA como já falei aqui.

Deste modo, é muito fácil dar inconsistência e travar uma fatura se essas informações forem alteradas no Dado Mestre, como remover ou incluir um imposto, ativar ou desativar.

 

➡️ Vídeo 05 – Passo a Passo da configuração e lançamentos dos Impostos Retidos na Fonte para serviços no SAP (Duração 01:08:54)

Apresentação completa das configurações do início ao fim dos Impostos Retidos na Fonte Ampliados.

 

Obrigado a todos que se interessaram neste conteúdo. Deixem seus comentários com dúvidas e perguntas. Terei o prazer em responder a todos.

 

Até o Próximo Blog!

2 Comments
You must be Logged on to comment or reply to a post.