Skip to Content
Product Information

ACR Brazil Option (TDF): Determinação de Códigos de Aglutinação no Relatório ECD

Olá pessoal,

 

Hoje vamos falar sobre a mudança na determinação dos códigos de aglutinação no relatório ECD, visando atender diferentes cenários de nossos clientes.

 

Inicialmente, o código de aglutinação era determinado a partir do código da conta contábil, e, posteriormente, passou a considerar também o centro de custo. Para utilizar o centro de custo na determinação das contas aglutinadoras, era necessário preencher a tabela shadow Chart Of Accounts (/TMF/D_PLCTA_CPL), informando a relação entre conta e centro de custo, já que não era possível encontrar essa informação no plano de contas do ERP.

 

No entanto, algumas empresas utilizavam o centro de custo nos lançamentos/saldos contábeis, mas não desejavam determinar os códigos de aglutinação a partir dos centros de custos, já que todos os centros de custos de uma determinada conta aglutinavam na mesma conta.

 

A novidade é que, a partir da implementação das notas 2744199 e 2751131, a determinação das contas aglutinadoras será feita de forma automática, não sendo mais obrigatório o preenchimento da tabela shadow mencionada acima.  Com essa modificação, os seguintes registros do relatório ECD foram alterados: J100, J150 e J210.

 

Dessa forma, os seguintes cenários serão suportados:

  • A determinação do código de aglutinação por conta contábil e centro de custo.
  • A determinação do código de aglutinação apenas por conta contábil.
  • A determinação do código de aglutinação considerando centro de custo para algumas contas e não para outras contas.

Neste último caso, basta preencher a tabela shadow Chart Of Accounts (/TMF/D_PLCTA_CPL) corretamente para que o sistema identifique quais contas devem considerar o centro de custo, e quais não devem considerar.

 

 

 

Gostaríamos muito de saber o seu feedback. Deixe seu comentário abaixo caso tenha alguma dúvida ou sugestão para um próximo post. E não esqueça de seguir a tag SAP Tax Declaration Framework for Brazil aqui na SAP Community para ficar ligado nas últimas notícias sobre o ACR Brazil Option.

 

Até a próxima!

Juliano Bellini

Time de desenvolvimento do TDF

2 Comments
You must be Logged on to comment or reply to a post.
  • Olá, Juliano!

    Atualmente utilizamos a tabela /TMF/D_CONTA_AGL para configurar a relação de conta sintética x conta analítica. Como essa tabela faz parte da estrutura da view CONTA_AGLUTINACAO, que por sua vez é consumida por diversos registros da ECD, o preenchimento dessa shadow nos atende perfeitamente.

    A nova lógica exposta acima influencia de alguma forma a função da tabela /TMF/D_CONTA_AGL na lógica da view CONTA_AGLUTINACAO?

    O meu questionamento se dá pelo fato da tabela /TMF/D_PLCTA_CPL pertencer à view PRV_PLANO_CONTAS, logo a modificação dos grupos de contas sintéticas afetaria o plano de contas como um todo. No nosso cenário, não temos que alterar o plano de contas, somente os códigos aglutinadores das demonstrações contábeis, que a RFB permite que sejam diferentes do plano de contas. Por esta razão surgiu o questionamento se esta nova lógica mudará de alguma forma a maneira como a tabela /TMF/D_CONTA_AGL é interpretada pelas view do bloco J da ECD.

    Desde já obrigado!

    Miguel Soares

    • Oi Miguel,

       

      Não influencia na lógica, neste caso a /TMF/D_CONTA_AGL vai ter preferência na lógica, portanto o que ele leva em consideração é o que está na Shadow Table.

      A /TMF/D_PLCTA_CPL é uma tabela complementar à view do Plano de Contas e serve justamente para preencher o centro de custo quando o mesmo é relevante para a aglutinação. Porém, no seu caso se aplica o que escrevi anteriormente.

       

      Att,

      Juliano Bellini