Skip to Content

É simples.

Primeiro a resposta curta: compatibility pack é o nome dado à lista de features/funcionalidades (“capacidades”) que já foram ou serão redesenhadas/descontinuadas, mas que podem ser usadas e serão suportadas no S/4HANA até 2025.

Agora, a resposta longa.

Com o advento do HANA, as oportunidades de simplificação e redesenho abriram para a SAP uma janela única redefinição do roadmap de capacidades de aplicação. Olhando para o ERP – o coração da arquitetura -, é justamente nele onde encontramos boa parte das oportunidades e da complexidade.

Para organizar o esforço e distribuir os benefícios na linha do tempo, a SAP colocou um prazo: 31/12/2025. Até esta data, o objetivo é que todo o “core” esteja simplificado o máximo possível. Da mesma forma, à medida que as simplificações vão saindo, é preciso um tempo de adaptação da base instalada. Com esta finalidade é que surgiu o conceito de Compatibility Pack.

Na verdade, o termo correto é “Compatibility Package” ou “Compatibility Scope Matrix”. Para simplificar, chamemos apenas de “CP”.

Assim, o CP nada mais é do que uma lista onde a SAP declara quais são as capacidades do core a serem revisitadas no S/4HANA.

Para melhor entendimento, algumas perguntas e respostas:

O que acontece em 31/12/2025?

2 coisas:
– as features em CP saem do mainstream maintenance. Significando: a SAP não dará mais suporte.
– a próxima versão do S/4HANA em 2025 não inclui mais as features em CP, somente suas novas encarnações.

O CP vale para qualquer versão do S/4HANA?

Depende. Há 2 tipos de classificação para features em CP:

– “L” (Limited) – válido somente para S/4HANA Finance (ou seja, 1511 e 1605)
– “U” (Universal) – válido para qualquer versão do S/4HANA, inclusive Finance.

Se for encontrado um bug em um item em CP, ele será corrigido?

Se a detecção ocorrer dentro do período de cobertura do CP, sim. Se for um gap funcional (muitas vezes confundido com bug), não.

Os itens em CP são contemplados por legal changes?

Sim! Suporte mainstream pressupõe legal change.

Qual a relação do CP com a Simplification List e com os Roadmaps de Produto/Solução/LoB?

– O CP nos diz se devemos esperar alguma mudança significativa para uma dada capacidade. Mudança significativa = redesenho ou decomissionamento.
– Os Roadmaps nos dizem qual a direção do produto/solução/capacidade no curto, médio e longo prazo.
– A Simplification List nos diz o que de fato foi feito a respeito de cada capacidade revisitada em cada nova versão do S/4HANA.

Onde obter mais informações?

Está tudo na SAP note 2269324 – Compatibility Scope Matrix for SAP S/4HANA on-premise. Anexos à SAP note temos uma planilha que detalha os itens em CP. Vamos pegar um excerto para entendimento:

  • Exemplo 1: SAP Payroll processing –> “U” –> Entendimento: payroll está em CP e pode ser usado no S/4HANA até 31/12/2025.
  • Exemplo 2: SAP Receivable Management –> “U” –> Entendimento: RM pode sr usado no S/4HANA até 31/12/2025.
  • Exemplo 3: SAP Fashion Management –> “L” –> Entendimento: FM pode ser usado no S/4HANA Finance somente até 31/12/2025.

Atenção! Features que são consideradas como não-estratégicas pela SAP debaixo do S/4HANA não aparecem na lista do CP! Estas são descritas nos roadmaps de produtos, e detalhadas nas versões da Simplification List. Exemplos:

  • Estratégico: LE-TRA: está no CP –> evolução da solução é TM Embedded, que foi entregue no S/4HANA 1709 (informação estava no roadmap e foi detalhado o escopo funcional na Simplification List).
  • Não-estratégico: EHS Occupational Health: não estão no CP –> Funcionalidade descontinuada do S/4HANA sem substituto. Ou seja, capacidade deixou de ser estratégica para SAP debaixo do S/4HANA (existem alternativas, ok!)

Pra fechar…

Alguns mitos e verdades:

“O compatibility pack é instalado como um add-on do S/4HANA”. MITO. O CP não é um add-on! Ele é apenas uma lista de funcionalidades que seguem disponíveis no S/4HANA até 2025.

“É possível implementar o ERP clássico no S/4HANA”. MITO. Ainda que seja possível manter features descontinuadas ativas e operantes no S/4, na prática é impossível migrar para S/4HANA sem habilitar inovações essenciais (Universal Journal, New Asset Accounting, Settlement Management, Business Partner, etc), as quais fundamentalmente já colocam a empresa com 1 pé no núcleo digitalizado. Ou seja, ainda que haja controvérsias, por menos inovador que seja um projeto de S/4HANA, ele não é um ERP clássico!

“O CP precisa de uma licença à parte para ser utilizado”. MITO. O uso dos itens em CP é condicionado ao rol de licenças já detidas pela companhia.

“As features em CP não se beneficiam da base HANA”. VERDADE. O CP é uma mera portabilidade de uma solução desenhada em RDBMS clássico para dentro do S/4HANA. Apesar de rodar numa base em memória, a solução não se vale do code pushdown, Fiori, embedded analytics, etc.

Um abraço,

Eduardo Rubia

To report this post you need to login first.

Be the first to leave a comment

You must be Logged on to comment or reply to a post.

Leave a Reply