Skip to Content

Olá, pessoal!

         JSON (Java Script Object Notation) vem se destacando por ser uma das maneiras mais eficientes quando se trata em formatação, representação e intercâmbio de dados, tendo em vista que estes deverão ser providos de modo estruturado e organizado; facilitando, contudo, sua legibilidade.
         Assim como ocorre com uma das principais linguagens de marcação para organização no processo de intercâmbio de dados entre recursos – XML (subconjunto simplificado da metalinguagem SGML), existem rotinas no ABAP que são capazes de interpretar e prover dados sob formatações específicas.

     ~ Implementação do código ABAP: 

DATA it_aux TYPE TABLE OF c WITH EMPTY KEY.

it_aux = VALUE #( ( 'A' ) ( 'B' ) ( 'A' ) ( 'P' ) ).

DATA(lr_json) =
  cl_sxml_string_writer=>create( type =
                    if_sxml=>co_xt_json ).

CALL TRANSFORMATION id SOURCE itab = it_aux
                       RESULT XML lr_json.

DATA(iv_json) = lr_json->get_output( ).

CALL TRANSFORMATION sjson2html SOURCE XML iv_json
                               RESULT XML DATA(iv_html).

cl_abap_browser=>show_html( html_string =
  cl_abap_codepage=>convert_from( iv_html ) ).


Ainda, é possível utilizar o método estático DISPLAY_JSON, da classe CL_DEMO_OUTPUT, ao invés de invocar a transformação XSL SJSON2HTML. Entretanto, a classe CL_DEMO_OUTPUT não foi desenvolvida para ser utilizada em ambientes produtivos.

     ~ Exibição da saída de informações:

output_json


         Até a próxima!

~ Créditos ao lendário Horst Keller.

To report this post you need to login first.

Be the first to leave a comment

You must be Logged on to comment or reply to a post.

Leave a Reply