Introdução

Durante a implantação do SAP usamos a metodologia de Projeto ASAP e na fase de execução dessa metodologia temos as seguintes etapas de testes: individuas e integrados. Com os testes, temos como objetivo garantir que sistema estará funcionando conforme especificado.

Trabalhando no AMS, por mais “auto gerenciável” que possamos ser, para atender o cliente de forma satisfatória, teremos que testar as demandas antes das entregas.

Seja no projeto SAP ou no AMS desempenhamos diversos papeis conforme a necessidade do atendimento, mas sempre com a preocupação de entregar a demanda, seja ela a implantação de novo processo ou uma entrada de um desenvolvimento Z.

Nem sempre há tempo necessário para executar os devidos testes, isso ocorre por N fatores. É quase como consertar um avião em pleno voo e ainda servir o lanche para os passageiros. Mas é um desafio que amamos né?

Apesar dos testes serem tarefas geralmente preteridas, minimizadas ou por diversas vezes tediosas, considero que é uma fase essencial em qualquer projeto, seja ele SAP ou não.

Mas a grande questão que percebo é: “Quais os tipos de testes devo executar? ” ou “Quais os meus cenários de testes?”.

Abaixo vou apresentar os tipos de testes que mais gosto de usar conforme a necessidade de cada demanda, seja ela um desenvolvimento, aplicação de nota ou o teste de uma rotina funcional.

Tipos de teste

Teste Unitário  – É um teste unitário da demanda para se certificar que programa esteja sendo executado sem DUMP.

Teste de Integração – Garante que os componentes interligados funcionem conforme o esperado. Utilizado para testar rotinas de integrações.

Teste Positivo-negativo – Garante que a demanda vai funcionar no “caminho feliz” conforme o esperado e também vai funcionar no fluxo de exceção.

Teste de regressão – Testa de algo que mudado. Realiza o processo de teste novamente.

Teste de caixa-preta – Testa todas as entradas e saídas.

Teste Funcional – Testa as funcionalidades e regras de negócio presentes na documentação com objetivo de validar suas funcionalidades conforme a documentação técnica.

Cada demanda tem sua própria necessidade com isso muitas vezes não precisamos fazer todos os tipos de testes apresentados.

Cenários de testes.

Algo que devemos pensar com cuidado na hora da elaboração de um plano de teste é considerar quais os cenários (processo e rotinas) de testes devemos ter ou não.

Pensando a nível de cenário de teste, sugiro a classificação dos cenários conforme sua importância e criticidade e com isso atribuo um peso a cada cenário:

  

     • Cenários críticos   – 10p

     • Cenários Importantes – 07p

     • Cenários normais -04p

     • Cenários com baixa prioridade -01p

Uma vez com a classificação dos cenários podemos fazer o plano de testes x os tipos de testes conforme exemplo da tabela abaixo:

Cenários

Tipo de teste

Peso

Status

Rotina Z1

Teste unitário

Importantes – 07p

Input de fatura

Teste Funcional

Importantes – 07p

Rotina de integração

Teste unitário

Teste de Integração

Teste Funcional

Críticos – 10p

Cadastro de Banco

Teste unitário

Normais -04p

Conclusão:

Fazer a classificação dos cenários de teste é um grande desafio, pois temos que garantir a qualidade dos trabalhos e ainda equilibrar o prazo de entrega. Por isso é necessário ter a visibilidade dos testes prioritários no plano de testes.

Essa visibilidade nos ajudará a contornar problemas, priorizar soluções e gerenciar alocação de recursos.

Enfim sempre tenho essa “máxima” comigo: cada erro que encontramos nos testes nos evitará vários erros no ambiente de produção.

Logico que cada projeto tem suas necessidade e recursos financeiros. Utilizar dessas diversas metodologias de testes no mercado fica a critério de analisar e decidir qual se enquadra melhor para sua necessidade.

Só tenho uma certeza: independe de qualquer coisa, o teste te salvará!

To report this post you need to login first.

4 Comments

You must be Logged on to comment or reply to a post.

  1. Marssel Vilaça

    Preciso mostrar esse artigo pra muita gente.

    O que dizer de testar um novo desenvolvimento e dar dump ao executar a tela de seleção? Alguém nem teve a curiosidade de testar o que criou antes de passar pra outra fila.

    Abraço

    (0) 
  2. LEANDRO DE CARVALHO

    Artur,

    Parabéns pela publicação!

    Infelizmente os testes, hoje em dia, estão cada vez mais “esquecidos” ou “incompletos” devido à falha de planejamento dos mesmos.

    Valeu pela Salvação!

    Abraço!

    (0) 

Leave a Reply