Skip to Content

Olá!

Depois de muito sofrimento com relação ao entendimento do módulo, consegui entender e parametrizar ele no SAP.

Fiz esse documento e resolvi compartilhar com vocês para quem sabe ajudar mais pessoas

Configurações

Ativando o módulo

            

Para ativar o módulo vá em: Administração > Inicialização do Sistema > Detalhes da Empresa > Aba Inicialização básica: ative a opção permitir ativos fixos.

Essa opção não pode ser desfeita depois de ativada.

Método de Cálculo da Depreciação

O SAP permite duas formas de cálculo de depreciação:

  • Mês: divide em partes iguais o valor do bem pela quantidade de meses da vida útil dele
  • Diária: divide o valor do bem pela quantidade de dias da vida útil do bem. Assim ele considera na depreciação se o mês teve 28, 29, 30 ou 31 dias.

Essa opção só pode ser alterada se não tiver sido executada nenhuma depreciação no SAP.

Determinação da conta

O módulo de ativo fixo possui uma tela de determinação contábil própria, onde ele permite que sejam criadas várias determinações que depois serão vinculadas as classes de ativo.

Deve ser preenchida da seguinte forma, num exemplo de determinação para a classe de Veículos:

Tipo da Conta Descrição Código da conta exemplo Nome da conta exemplo
Conta do balanço do ativo

Conta que é debitada na capitalização do bem;

Conta que é debitada na reavaliação do bem, quando aumenta o valor;

Conta que é creditada na reavaliação do bem, quando diminui o valor;

1.2.3.01.008 Veículos
Aquisição de conta de compensação Conta que é creditada na capitação e debitada na NF de Entrada 1.2.3.01.008 Veículos
Reserva de reavaliação

Conta que recebe crédito na reavaliação do bem, quando aumenta o valor;

  Conta que recebe débito na reavaliação do bem, quando diminui o valor;

2.3.3.01.001 Ajustes de Avaliação Patrimonial de Ativos
Depreciação normal Conta que recebe débito na execução da depreciação 4.1.1.15.001 Depreciação
Depreciação acumulada normal Conta que recebe débito na baixa do item e crédito na depreciação do ativo 1.2.2.02.005 ( – )Veículos
Depreciação não planejada Conta que recebe crédito na execução da reavaliação para baixar o valor do ativo 4.1.1.15.001 Depreciação
Depreciação não planejada acumulada Conta que recebe débito na execução da depreciação 4.1.1.15.001 Depreciação
Despesas de aposentadoria do valor contábil líquido (bruta) Conta que recebe débito na baixa do ativo 4.3.1.03.004 Baixa de Imobilizado
Receita de aposentadoria do valor contábil líquido (bruta) Conta que recebe débito na baixa do ativo se o valor do bem é menor que o valor residual 4.3.1.03.004 Baixa de Imobilizado
Conta de receita de aposentadoria Conta que recebe crédito na venda de um ativo 4.3.1.03.001 Venda de Imobilizado
Renovar conta de compensação Conta que recebe débito na venda de um ativo e crédito na NF de Saída de venda 4.3.1.03.001 Venda de Imobilizado

Deve ser criada uma para cada classe que será utilizada no módulo.


Tipos de depreciação

O tipo de depreciação configura o método de depreciação que irá ser utilizado pela empresa.

No Brasil a legislação permite que seja utilizado somente o cálculo linear, onde o bem tem seu valor dividido igualmente entre sua vida útil. Assim deve ser configurado da seguinte forma no SAP:

  • Código: código definido pelo usuário
  • Nome: nome definido pelo usuário
  • Método: Linear
  • Base de cálculo: Anual
  • Aba Geral: deixar valores padrão após preenchimento dos campos acima
  • Aba Cálculo > Método de Cálculo: Valor de aquisição/vida útil total

Áreas de depreciação

Define como será tratado contabilmente o processo de depreciação no sistema.

Deve-se atentar no Tipo, definido por estas características:

  • Lançamento para o Razão: nesta área, a depreciação do ativo é lançada para as contas do Razão.
  • Área adicional: nesta área, a depreciação do ativo não é lançada nas contas do Razão. A depreciação executada nesta área é apenas para fins de informação.
  • Área derivada: a área derivada da área de depreciação principal. Geralmente, você usa esta área quando executar depreciações especiais. Nas depreciações especiais, você pode especificar o mesmo tipo de depreciação para ambas as depreciações normais e alternativas. A área derivada é usada apenas para fins de informação e não há lançamento no Razão.

Desse modo, a área de depreciação principal executa a depreciação normal e a depreciação especial, enquanto a área derivada executa apenas a normal. Então é possível comparar a depreciação do ativo com e sem a depreciação especial. Para obter mais informações, consulte Método de depreciação especial.

Geralmente, a contabilidade precisa que existam duas áreas de depreciação uma com lançamento no razão e outra informativa. Assim elas devem ser configuradas da seguinte forma:

  • Lançamento para o Razão
    • Código: código definido pelo usuário
    • Descrição: descrição definida pelo usuário
    • Tipo: Lançando no Razão
    • Marcar a flag: área de depreciação principal
    • Área derivada de depreciação: deixar em branco
    • Lançamento de depreciação: Lançamento indireto, para que a contabilização seja executada de forma mais detalhada.
    • Lançamento da baixa: bruto, para que seja contabilizado o valor bruto do ativo 
  • Área Adicional
    • Código: código definido pelo usuário
    • Descrição: descrição definida pelo usuário
    • Tipo: Área adicional


Classes de ativo


Na Classe do Ativo será utilizada para junção das demais tarefas realizadas anteriormente. Na classe será diretamente liga ao item, definindo suas características contábeis e relacionadas a sua depreciação.

Deverá ser preenchido da seguinte forma:

  • Código: código definido pelo usuário
  • Descrição: descrição definida pelo usuário
  • Tipo de Ativo: tipo do ativo definido pela empresa
  • Grupo de atributos: preencher com o definido pela empresa
  • Área de depreciação: colocar as áreas de depreciação vinculadas a essa classe de ativo, vinculadas com os demais parâmetros
    • Área de depreciação: área de depreciação do item
    • Determinação da conta: determinação contábil relacionada a esse item
    • Tipo de depreciação: tipo de depreciação relacionada a esse item
    • Vida útil (meses): vida útil em meses desse item


Cadastro do Ativo

O cadastro do ativo fixo é realizado em uma tela especifica para ele que se encontra em: Finanças > Ativo fixo > Cadastro do Ativo. Ela deve ser preenchida com os seguintes campos:

  • Nº do item: código do item, de acordo com o definido para cada grupo de ativo.
  • Descrição: descrição do item, de acordo com o definido pela contabilidade
  • Tipo de item: ficará fixo como “Ativos fixos”
  • Grupo de itens: grupo de item, de acordo com o definido pela contabilidade
  • Item de venda: selecionar caso o item deva aparecer em documentos de vendas
  • Item de compra: selecionar caso o item deva aparecer em documentos de compras
  • Classificação do item para imposto: Material
  • Tipo do material: preencher de acordo com a característica do item
  • Código NCM: preencher de acordo com a característica do item
  • Grupo de materiais: preencher de acordo com a característica do item
  • Aba de Ativos fixos
    • Aba Síntese
      • Classe do ativo: preencher com a classe a que esse ativo irá pertencer
      • Grupo de ativos: será utilizado para preenchimento do tipo técnico do ativo
      • Grupo de depreciação: pode ser preenchido com uma definição de grupos realizada pela empresa
      • Nº inventário: número de inventário do ativo, conforme definido na placa de patrimônio
      • Nº de série: número de série do item, caso seja necessário registrar essa informação
      • Área de depreciação: é preenchida atomicamente com o definido na classe do ativo

Os demais campos são para informação durante a manutenção do ativo na empresa.

Como o ativo fixo é inserido como um registro único no SAP, deverá existir um cadastro de item para cada ativo existente na empresa. Por exemplo, a empresa possui 100 máquinas de POS, nesse caso deverão ser cadastrados 100 itens de POS no SAP para que eles possam ser controlados como um ativo.

Aquisição e Incorporação de Ativo Fixo

Quando um ativo é adquirido pela empresa, deverá ser realizado o registro de entrada normalmente na NF de Entrada, assim automaticamente será registrada uma Capitalização do bem, que nada mais é do que a incorporação do bem ao quadro de ativos da empresa.

Esse procedimento gera a seguinte contabilização:


Documento Débito Crédito
NF de Entrada 1.2.3.01.008 – Veículos Fornecedor
Capitalização 1.2.3.01.008 – Veículos 1.2.3.01.008 – Veículos


Caso não exista um documento fiscal ligado a esse ativo, o lançamento deve ser realizado diretamente na tela de Capitalização (Finanças > Ativo fixo > Capitalização).


Venda e Baixa de Ativo Fixo


Quando um ativo é vendido pela empresa, deverá ser realizado o registro de saída normalmente na NF de Saída, assim automaticamente será registrada uma Baixa do bem, que nada mais é do que a baixa do bem ao quadro de ativos da empresa.

Esse procedimento gera a seguinte contabilização:

Documento Débito Crédito
NF de Saída Cliente 4.3.1.03.001 – Venda de Imobilizado
Baixa

4.3.1.03.001 – Venda de Imobilizado

1.2.3.02.005 –  ( – ) Veículos

4.3.1.03.004 – Baixa de Imobilizado

4.3.1.03.001 – Venda de Imobilizado

1.2.3.01.008 – Veículos

Caso não exista um documento fiscal ligado a esse ativo, o lançamento deve ser realizado diretamente na tela de Baixa (Finanças > Ativo fixo > Baixa).

Devolução de Ativo e Devolução sem NF de Entrada

             

Existem casos em que a empresa compra um ativo, porém é necessário devolve-lo por algum motivo. Nesse caso, se o item não for devolvido no mesmo dia, ele terá que ser devolvido com o valor residual que ele estiver no dia da devolução.

Para realizar a devolução, basta copiar a NF de Entrada para uma Dev. Nota Fiscal de Entrada. O valor do item deve ser alterado para o valor residual. Esse processo irá gerar uma Nota de crédito de Incorporação, que tem por função fazer as contabilizações desse procedimento no ativo fixo.

A contabilização do processo é a seguinte:


Documento Débito Crédito
NF de Entrada 1.2.3.01.008 – Veículos Fornecedor
Capitalização 1.2.3.01.008 – Veículos 1.2.3.01.008 – Veículos
Dev. Nota Fiscal de Entrada Fornecedor 1.2.3.01.008 – Veículos
Nota de crédito de Incorporação 1.2.3.01.008 – Veículos 1.2.3.01.008 – Veículos


Caso o item precise ser devolvido, porém não existe sua NF de Entrada lançada no SAP para esse item, a NF de crédito de incorporação pode ser lançada manualmente em Finanças > Ativo fixo > Nota de crédito de incorporação.

Depreciação

A depreciação realizada a diminuição do valor do bem de acordo com as configurações realizadas anteriormente. Ela de ver ser realizada mensalmente para os itens de Ativo da empresa, assim os valos deles serão descontados do valor que foi calculado para a depreciação.

Pode ser executada no seguinte caminho: Finanças > Ativo Fixo > Execução deDepreciação. Basta escolher o mês de depreciação e clicar em Visualizar. Ele apresenta os itens que serão depreciados e os valores envolvidos. Depois clique em “Executar” que o SAP faz os processos referentes.

A execução da depreciação realiza a seguinte contabilização:


Documento Débito Crédito
Depreciação 4.1.1.15.001 – Depreciação 1.2.3.02.005 – ( – ) Veículos


Caso exista algum erro na execução da depreciação já realizada, ela pode ser cancelada, desde que não existam itens que tenham sido vendidos nesse período que será cancelado. Para isso, basta ir a tela de Execução de depreciação e clicar na linha da depreciação que precisa ser cancelada e escolher a opção “Cancelar”.

Reavaliação


Existem situações em que ativos podem ter seu valor alterado em uma reavaliação. Para fazer essa operação no SAP deve-se utilizar a seguinte tela: Finanças > Ativo Fixo > Reavaliação de Ativo. Preencher os dados do ativo e inserir o documento.

Essa operação faz a seguinte contabilização:

Documento Débito Crédito
Reavaliação de ativo 4.1.1.15.001 – Depreciação 4.1.1.15.001 – Depreciação



Modificação de exercício fiscal

Na virada de um ano fiscal para outro, deverá ser realizada a operação de Modificação de exercício fiscal. Quando você modifica um exercício fiscal, o SAP Business One executa os seguintes cálculos:

  • Para cada ativo, o SAP calcula os valores de encerramento do exercício de todas as transações do ativo. Estes valores são gravados no cadastro do ativo e servem como valores iniciais para o novo exercício fiscal.
  • Para cada ativo, o SAP recalcula a depreciação planejada para o novo exercício fiscal.

E fim!

Espero que tenha aj

To report this post you need to login first.

8 Comments

You must be Logged on to comment or reply to a post.

  1. Camila Kretzer

    Olá.

    Primeiramente, parabéns. Muito bacana o material.

    Tenho uma dúvida quanto ao tipo de depreciação. Em meus ativos existem alguns que foram cadastrados equivocadamente com o tipo de depreciação sem depreciação. Cinco meses se passaram desde a implantação do B1, e estes itens não estão depreciando. Se, agora eu fizer a alteração da depreciação no cadastro do ativo, ele irá depreciar retroativamente? Gostaria de alguém consegue me orientar quanto a isso.

    Obrigada,

    (0) 
  2. Rodrigo da Costa Feula

    Boa tarde Lais, como já mencionado em outro comentário seu documento está excelente!!!

    Com base nele e alguns materiais da SAP estou realizando um estudo sobre o “Ativo Fixo” pois estou com uma demanda.

    No estudo acabou surgindo alguns questionamentos, que gostaria de trazer para você e os demais membros, assim podemos ajudar um ao outro com diferentes visões:

    Questão 1:

    Fazendo um comparativo, quando realizamos uma compra normal de um item não estocável e lançamos a NF de entrada o SBO faz o LCM:

    Crédito em :  Fornecedor

    Débito em:    Determinação contabil uso da lacuna “Conta de despesas”, normalmente aqui se usa/configura uma conta do nível custo ou despesa.

    Obs.: Neste caso como compramos algo não estocável, então isto representa uma “despesa”.

    Feita a consideração anterior, na “Aquisição do ativo” quando lançamos uma NF de Entrada com um ativo, similarmente estamos fazendo o lançamento de compra de um “item não estocável”, neste caso o LCM realizado é:

    Crédito em:   Fornecedor

    Débito em:    Determinação da conta de Ativo fixo na lacuna “Aquisição de conta de compensação”

    Qual seria o tipo de conta ideal para configurar na lacuna “Aquisição de conta de compensação”?

    Será que o ideal, talvez seria uma conta do nível “Custo” ou “Despesa”? Já que imediatamente após a NF de entrada o sistema lança automaticamente um documento de capitalização.

    Lembrando que a capitalização faz o LCM:

    Crédito em:   Determinação da conta de Ativo fixo na lacuna “Aquisição de conta de compensação”

    Débito em:    Determinação da conta de Ativo fixo na lacuna “Conta do balanço do ativo”

    Sendo assim no lançamento da NF de Entrada o SBO contabilizaria a compra como despesa e na sequência com a capitalização (tranformar o que seria despesa em ativo da emrpesa) contabilizaria o estorno da despesa (zerando a conta de despesa) e apropriando este débito no ativo.

    Ainda, pensando em uma situação onde não possuimos a NF de Entrada e será feita a “Capitalização do ativo” de forma manual, o LCM resultante seria:

    Crédito em:   Determinação da conta de Ativo fixo na lacuna “Aquisição de conta de compensação”

    Débito em:    Determinação da conta de Ativo fixo na lacuna “Conta do balanço do ativo”

    Se informarmos a mesma conta, digamos que seja a conta no nível “Ativo” o resultado contábil será nulo ou zero, já que debitaria e creditaria a mesma conta.

    O correto não seria gerar um crédito em uma conta do nível “Custo/Despesa” e o débito no “Ativo fixo”?

    Questão 2:

    Em um cenário que a empresa trabalha com estoque de um item (imagine uma concessionária de veículos), pois por exemplo comercializa este item. E em determinado momento deseja transformar este item que inicialmente era para ser comercializado em um ativo fixo da empresa, não encontrei uma forma/processo padrão para transformar o item de estoque em um ativo fixo.

    Alguém se deparou com este cenário?

    Já avaliou como fazer?

    Questão 3: (Comentário editado: Encontrei a resposta – Vide print abaixo)

    Não localizei no cadastro do ativo e no processo de entrada como sinalizar para quantificar a quantidade de bens daquele tipo.

    Por exemplo:

    Comprei 10 veículos, lancei uma nota fiscal de entrada, informando um item do tipo “ativo fixo”, na nota fiscal lancei uma única linha com quantidade 10.

    Ao visualizar o “Dados mestre” do Cadastro de Ativo, aparece o valor acumulado dos 10 veículos, mas não aparece que são 10 veículos.

    Na aba existe um campo “Quantidade” alguém saberia como configurar para gerar a informação de quantidade neste campo?

    Quantidade.png

    (0) 
  3. Vanderci Ribeiro

    Pessoal boa tarde,

    tenho uma duvida, qdo o imobilizado for originado através de financiamento, o SAP faz esta contabilização ou tenho que lançar manualmente a partida financiamento x Curto e Longo Prazo?

    (0) 
    1. Rodrigo da Costa Feula

      Olá Vanderci, entendo que quando você comprar o Bem, ao lançar a NF de Entrada, será realizada a contabilização do “Fornecedor” no passivo à “Crédito” vs. “Despesa à débito”, depois na capitalização do bem ocorrerá a transferência do “Débito” da “Despesa” para o “Ativo”.

      O detalhe fica por conta do financiamento, como no lançamento da NF de entrada foi gerado passivo no fornecedor, para resolver a questão, seria fazer o LCM manualmente “Debitando” o fornecedor e “Creditando” as respectivas contas de financiamento.

      Abraços,

      Rodrigo da Costa Feula

      (0) 
  4. Giuliano Zani

    Olá Lais,

    Muito obrigado por compartilhar!!

    Recentemente implementamos o B1 e ficamos totalmente decepcionados de como foi implementado o Ativo Fixo. A data de aquisição dos bens foram totalmente perdidas assim como o valor original, ou seja, a data de aquisição dos bens foi a data da implantação dos mesmos e o valor foi iniciado pelo residual. Por acaso você passou por essa situação?

    Att.,

    (0) 

Leave a Reply