Caso de Uso

 

Você é o consultor FI alocado num projeto de melhoria na empresa XPTO. Você identifica que as informações do fluxo de caixa são feitas de forma manual. Os usuários usaram as transações FBL1N, FBL3N e a FB5N para extrair as informações financeiras para montar o fluxo de caixa no Excel.

Baseado nessas informações você propõe um relatório de fluxo de caixa gerado pelo SAP ECC com os seguintes requisitos:

      • Saldo Bancário.
      • Entradas – Com a previsão de pagamento de clientes.
      • Saídas – Com a previsão de pagamento de fornecedores.
      • Visualização das informações do caixa em moedas estrangeiras.

 

FF7A – (Situação do Caixa ou Fluxo de Caixa)

 

Para ajudar nesta administração do caixa da empresa, o SAP ECC disponibiliza diversos relatórios, dentre eles vou demostrar nesse artigo a utilização da transação FF7A que provê informações financeiras da empresa de forma rápida e precisa.

 

A transação FF7A trabalha com dois objetos de tesouraria para ajudar na organização das informações. Os objetos de tesouraria são:

 

      • Níveis de tesouraria
      • Grupos de tesouraria

 

Após a configuração dos objetos de tesouraria, essas informações são vinculadas aos dados mestres dos fornecedores, clientes e conta do razão.

Para atender aos requisitos funcionais propostos, vamos organizar nossos objetos de tesouraria conforme diagrama abaixo.

F1.png

 

1. Configuração – Níveis e Grupos de Tesourarias

 

Uma vez os objetos de tesouraria definidos, vamos configurar os níveis e grupos de tesourarias.

 

“Definir níveis de tesouraria “

 

Para criar o nível de tesouraria pode-se acessar a transação OT14 ou caminho

SPRO-> IMG >Financial Supply Management > Administração de caixa e de liquidez> Administração de caixa > Dados mestre > Conta terceiros> Definir níveis de tesouraria

F2.png

Descrição dos campos relevantes:

 

Nível: O nível de administração de tesouraria é utilizado para o controle da administração de caixa.

“A SAP sugere que os níveis que começam por ‘F’ ou ‘B’ devem ser reservados para a atualização automática nos lançamentos, devendo os níveis ‘F’ ser utilizados para contas bancárias, clientes e fornecedores e os níveis ‘B’ para as contas de compensação bancárias.”

CS: Não se aplica ao artigo.

Origem: Define a origem das informações para o caixa, que podem ser usadas nos dados mestre.

Possíveis Origens:

        • BNK   Contabilidade bancária
        • PSK   Contabilidade de contas de clientes/fornecedores
        • DEV   Garantia de divisas
        • DAR   Empréstimo
        • WER   Títulos
        • MAT   Administração de materiais
        • VER   Vendas e distribuição

* Um ponto muito interessante que os níveis de tesouraria podem ter acesso a informações de partidas-memo, ordem, pedidos e outros mais objetos conforme descritos acima.

Txt.Breve: Texto breve do grupo de tesourarias.

Txt.Descr.nivel.Tesouraria: Descrição do nível de tesourarias.

“Definir níveis de tesouraria”

 

Para criar um grupo de tesouraria pode-se acessar a transação OT13 ou caminho

SPRO-> IMG >Financial Supply Management > Administração de caixa e de liquidez> Administração de caixa > Dados mestre > Conta terceiros> Definir grupos de previsão de tesouraria

F3.png

Descrição dos campos relevantes:

 

GrpPrevTes: Id do grupo de tesourarias.

Níel: “O nível de administração de tesouraria é utilizado para o controle a administração de caixa.”

Cnt: Não se aplica para esse artigo.

CtrDt: Não se aplica para esse artigo.

 

Txt.Breve: Texto breve do grupo de tesourarias.

Denominação: Descrição do grupo de tesourarias.

2.Atualização dos dados mestre

 

Já com os objetos de tesouraria configurados é necessário a atualização dos dados mestres referente ao campo “GrpAdmTesourar”.

Para os dados mestre de fornecedores e clientes ficam disponíveis no seguimento empresa na aba “Administração de conta” para os fornecedores e clientes.

 

“Atualização do Grupo Tesouraria”

 

Atualização do grupo de tesouraria dos fornecedores pode acessar a transação FK02.

/wp-content/uploads/2014/12/f4_616924.png

Atualização do grupo de tesouraria dos clientes pode acessar a transação FD02.

/wp-content/uploads/2014/12/f5_616925.png

Para as contas do razão é necessário atualizar o campo “nível de tesouraria” no seguimento empresa do dado mestre. Esse campo fica disponível na aba “Entrada/Banco/Juros”.

 

Atualização do grupo de tesouraria das contas do razão pode-se acessar a transação FS00.

/wp-content/uploads/2014/12/f6_616926.png

 

As informações demonstradas nesta parte são focadas para atualização dos campos necessários para configuração da transação FF7A, demais informações do referente a administração de tesouraria não está descrito neste artigo.

 

3.Configuração – (Situação do Caixa ou Fluxo de Caixa)

 

Já com as configurações de tesourarias feitas e dados mestre atualizados, vamos começar a criar a estrutura do fluxo de caixa.

 

Um ponto interessante nas configurações das “estruturas” usadas na transação FF7A é que podemos ter quantas visões financeiras a empresa necessitar. Não precisamos ficar presos a uma demonstração especifica,as configurações da FF7A envolvem três passos.

 

 

Passo 1: “Definir nome da conta em tesouraria“

 

Com essa configuração atribuímos um “sinônimo” para as contas, por exemplo, em vez de ser mostrado o número da conta no relatório “101001” podemos colocar um nome intuitivo assim “ENT_ITA001” com isso já sabemos que é uma conta do banco entrada, do Itaú e número da conta.

 

Com essa configuração ativada, ela é fica disponível em todos relatórios de administração de tesourarias.

 

Para criar “nomes das contas de tesourarias” pode acessar a transação OT16 ou caminho

SPRO->IMG >Financial Supply Management > Administração de caixa e de liquidez> Administração de caixa > Estruturação > Definir nome da conta em tesouraria

/wp-content/uploads/2014/12/f7_616927.png

/wp-content/uploads/2014/12/f8_616934.png

Descrição dos campos relevantes:

 

NmCtates: Nome intuitivo para identificação da conta.

        Cta.Razão: Número da conta do razão.

 

Conta Bancária: Caso uma conta do razão esteja vinculado com uma conta bancaria será apresentado o número da conta bancaria.

 

SóAt: Não se aplica para esse artigo.

 

CoOP: Não se aplica para esse artigo.

 

Denominação: Descrição para identificação da conta.

 

Passo 2: “Atualizar títulos“

 

Com essa configuração vamos criar o nome para fluxo de caixa que queremos utilizar.

 

Para criar um “títulos” podemos acessar a transação OT18 ou caminho

SPRO-> IMG >Financial Supply Management > Administração de caixa e de liquidez>> Administração de caixa > Estruturação > Classificações >Atualizar títulos

/wp-content/uploads/2014/12/f9_616935.png

 

Passo 3: “Atualizar estrutura “

 

Aqui vamos configurar nossa estrutura de informação para o fluxo de caixa, conforme as necessidades da empresa. Podemos fazer agrupamento das contas bancária e informações referentes aos fornecedores e clientes.

 

Para criar uma “Atualizar estrutura” pode acessar a transação OT17 ou caminho

SPRO-> IMG >Financial Supply Management > Administração de caixa e de liquidez> Administração de caixa > Estruturação > Classificações >Atualizar estrutura

/wp-content/uploads/2014/12/f10_616936.png

Descrição dos campos relevantes:

 

Estrutura: nome definido no passo 2 desse artigo. Recebe o nome “FLUXO1”referente ao campo “estruturação” que definimos anteriormente.

 

Campo Estrutura: E: Considera todas informações relevantes configurada nos níveis de tesourarias e G para conta ou grupo de previsão de tesouraria.

 

Seleção: “Neste ponto devem ser entrados os níveis, as contas ou os grupos de tesouraria, os quais devem ser considerados ou excluídos na exibição. As entradas devem ser mascaradas com um ‘+’, para possibilitar uma entrada genérica”

 

Os número das contas do Razão são compostas por 10 posições e os grupos de tesouraria tem 6 posições.

Seleção: “++” consolida todas as informações com o nível tesouraria.

 

Seleção: “++++1+++++ “filtra as contas do razão que na quinta posição seja igual ao numeral “1”.

 

Seleção: “F1++++” filtra os grupos de tesourarias que comecemos caracteres “F1”.

 

Seleção: “F2++++” Filtra os grupos de tesourarias que comecem com os caracteres “F2”.

 

Empresa: Identifica uma empresa específica.

 

Plct: Identifica um plano de conta específico, caso queria fazer um filtro por plano de conta.

 

Excluir: Excluir uma determinada informação para não ser exibida.

 

Campo ConcCampac: Descrição do agrupamento para visualização.

EmpresaCompac: “Se uma conta de compactação for especificada, o mesmo poderá suceder para uma empresa de compactação”.

4. Execução da transação FF7A

 

Agora chegamos na parte final do nosso artigo, antes de executar a transação FF7A. Um ponto relevante: se os dados mestres não estiverem atualizados com as informações de nível ou grupo de tesourarias não serão consideradas na seleção da transação FF7A.

 

“FF7A em moeda BRL“

/wp-content/uploads/2014/12/f11_1_617092.png

/wp-content/uploads/2014/12/f11_2_617105.png

Descrição dos campos relevantes:

 

Nome do campo

Descrição

Ação do usuário e valores

Comentário

Empresa

1000

Situação de caixa

Selecione

Selecione para considerar das contas bancárias

Prev.tesour.a curto prazo

Selecione

Selecione para considerar das contas fornecedores e clientes.

Estruturação

FLUXO1

Este agrupamento mostra uma síntese total das contas bancárias e das contas de terceiros.

Exibição por

13.12.2014

Por exemplo, data de hoje

Exibição em

BRL

Moeda de exibição

Incremento

1

Incremento em dias, semanas ou meses

Em unidade

T

Unidade do incremento em dias, semanas ou meses

Exibição Delta

Selecione

O tipo de exibição determina, se são saídos valores acumulados ou apenas entradas e saídas por cada intervalo de tempo com o total ou saldo inicial e saldo final.

Exibir síntese de moedas

Não Selecionar

Se esta instrução for marcada e caso se tenha selecionado mais que uma moeda, a exibição da situação de caixa ou da previsão de tesouraria a curto prazo será iniciada por uma síntese de moedas.

Nº de colunas

14

Sábado/Domingo para Segunda

Selecione

 

“Resultado”

/wp-content/uploads/2014/12/f12_617107.png

 

“Principais opções disponíveis na transação FF7A.”

/wp-content/uploads/2014/12/f13_617118.png

“Nives”

/wp-content/uploads/2014/12/f14_617119.png

/wp-content/uploads/2014/12/f15_617123.png

 

“Grupos”

/wp-content/uploads/2014/12/f16_617124.png

/wp-content/uploads/2014/12/f17_617125.png

 

“Outras Apresentações”

/wp-content/uploads/2014/12/f18_617132.png

/wp-content/uploads/2014/12/f19_617133.png

 

“FF7A em moeda USD “

 

/wp-content/uploads/2014/12/f20_617134.png

É necessário que a taxa de câmbio já esteja atualizada conforme a imagem abaixo.

/wp-content/uploads/2014/12/f21_617138.png

Paras mas informações sobre taxas de cambio podem acessar o link abaixo.

https://help.sap.com/saphelp_46c/helpdata/pt/e5/0781f54acd11d182b90000e829fbfe/content.htm

 

“Resultado”

/wp-content/uploads/2014/12/f22_617139.png

Conclusão

 

Esse artigo mostra de forma prática a utilização da transação FF7A e as configurações envolvidas para criar várias visões financeiras para a utilização no Fluxo de Caixa da empresa.

 

Caso alguém sinta falta de alguma configuração ou informação importante ou encontre alguma divergência, fique à vontade para relatar a devida correção.

 

 

Reclassificação – OT48

Muitas vezes chegamos a uma empresa, com a estrutura de fluxo de caixa já definida e, com partidas no sistema. Caso haja necessidade de uma reorganização, a transação OT48 executa uma reclassificação das partidas já incluídas, recomendo que seja executado no ambiente de qualidade para medir os impactos e depois em produção.

 

fluxo de caixa print 1.png

 

A transação FDFD é uma ferramenta de introdução de tesouraria, muito útil para encontrar divergência e correções de informações.

 

Obrigado, Artur Paulino

To report this post you need to login first.

14 Comments

You must be Logged on to comment or reply to a post.

  1. Marssel Vilaça

    Muito boa Documentação Artur. Não lembro de ter visto uma clareza assim faz tempo. Existem muito material que confunde mais do que explica. Parabéns! 🙂

    Gosto muito da FF7A. Ela deveria ser mais utilizada já que dá uma visão por filial (Divisão).

    Para isso acontecer deve-se equalizar:

    GSBER = BUPLA = WERKS (Divisão /Local de negócio / Centro)

    Por regra de substituição com Exit fica legal.

    O detalhe é que com o New GL ativado pode se utilizar os centros de lucro como filiais de uma forma mais consistente. Daí a idéia de usar a Divisão em FI fica obsoleta e quebra um pouco a utilização desse fluxo que é bem útil.

    Abraço

    (0) 
  2. Karen Rodrigues

    Ola Arthur, feliz 2015!!!

    Com grande alegria ver que um documento bem detalhado aqui no espaço em portugues.

    Muito obrigada por compartilhar seu conhecimento conosco! 🙂

    Att.

    Karen Rodrigues

    (0) 
  3. Marcelo Fontes

    Olá Artur! Parabéns pelo trabalho muito bom!

    Tenho uma situação e vendo sua postagem, pensei que compartilhando com você poderia ter uma orientação.

    Estou em uma empresa que já tem o seu fluxo implementado da forma mencionada por você.

    O ponto que estou tratando é e exibição de saldos, que além da moeda interna tem também a moeda estrangeira no caso específico EUR.

    A divergência que tenho é na conta de saída, pois ao me exibir o saldo converte pela taxa do dia cadastrada na transação OB08 ficando um saldo diferente do que realmente temos na transação FBL3N que, representa o que teríamos efetivamente de saída.

    Pergunta meu amigo;

    Conhece um ponto na FF7A onde eu possa definir para que seja considerado o saldo baseado nos documentos e não na taxa do dia?

    Sei que se na entrada eu informar a taxa media eu teria, mas se torna menos viável para área que teria que fazer este calculo.

    Obrigado!

    Abraços

    Marcelo Fontes

    (0) 
    1. Artur Paulino da Silva Cardoso Post author

      Marcelo, Bom dia.

      Eu faria da seguinte forma: lançaria na FF63(Partida de Planejamento) uma partida para no banco com o valor desejado com isso essa partida será seu saldo inicial.  E excluiria as contas não relevantes do FF7A.

      E depois pela transação FF6B ( arquivaria ) o planejamento dele quando não foi mais relevante.

      Por favor, nos próximos interações abre uma pergunta no SCN.


      Obrigado.

      Artur

      (0) 
  4. Pauline Wollmann

    Bom dia Artur, por acaso você já teve a experiência de ter que incluir partidas memo na FF7A? Não consigo usar o registro individual devido ao número de memos incluídas por um desenvolvimento na FBL5N…ficaria inviável.

    (0) 
  5. Juliano Farrah

    Excelente.
    Parabéns!

    Uma dúvida:

    Na minha FF7A está listando documentos de 2014, pois a forma de pagamento estava para 999 dias e com isso, cairam agora.
    Existe a possibilidade de tirar esses documentos muito antigos.
    A Forma de Pagamento desses documentos é diferenciada (QUIT) = Quitado.

    Obrigado e mais uma vez parabéns!!

    (0) 

Leave a Reply