Skip to Content

Introdução

O artigo mostra de forma simples os passos necessários para configuração do DDA – Débito Direto Autorizado no SAP ECC.

Conceituação do DDA


A FEBRABAN – Federação Brasileira de Bancos criou o DDA – Débito Direto Autorizado em 2009 para facilitar e aumentar a produtividade das empresas e diminuir a impressão de boletos bancários.

Com a implantação do DDA as empresas ou pessoas físicas não precisam esperar o boleto impresso chegar, podem visualizar o compromisso financeiro através de sites ou caixas eletrônicos e celulares, com isso, fazer seus pagamentos.

No manual FEBRABAN as informações sobre o DDA estão localizadas item 3.2.3 Bloqueto Eletrônico (Captura de Títulos em Cobrança) contemplado nos seguimentos G e H composto pelo layout de 240 posições.

Pré-requisitos técnicos necessários


O DDA já está disponível na versão SAP ECC 6.0 para todos os Enhancement Packages. Caso tenha uma versão inferior ao SAP ECC 6.0 é necessário baixar as seguintes notas abaixo.

Notas para solução de DDA:

1579415 DDA Phase 2 development

1581476 DDA: Incorrect length of the field A322(structure J_1BELBYA)

1630442 BR:RFEBKA00: Brazil DDA legal changes for Bradesco

1529125 BR:RFEBKA00:DDA Legal Changes for Febraban,Itau and Bradesco

1514922 BR:RFEBKA00:DDA Legal Changes for Febraban,Itau and Bradesco

1652414 BR:DDA Brazil: Incorrect selection of DDA documents

1644550 BR :Checkman errors rectified for Brazil DDA Bredesco Format

1659236 BR: DDA Post Processing

1666697 BR:DDA Segment G and Segment H changes for Febraban

1702609 DDA: Bazil DDA Itau file with no account details

1744913DDA: Enhancement point in program J_1BBR20 and RFFOBR_DDA

1717247 DDA: RFEBKA00: DDA document year different from file year

1746618 RFFOBR_A-j_1bdmexh3-h306 should be blank in FEBRABAN format

Definição de objetivos

Uma vez que compreendemos o conceito do DDA e pré-requisitos técnicos necessários vamos começar a configurar o DDA no SAP ECC.

Nesse artigo vamos trabalhar com o banco Santander, onde usamos o DDA para capturar o código da linha digital para preenchimento no campo RF05L-BRCDE descrito na imagem abaixo.

É importante que SAP ECC esteja contemplando o item da localização Brazil no link abaixo para que o campo esteja com 48 posições.

http://wiki.scn.sap.com/wiki/display/LOCLA/Barcodes+with+48+digits+in+FB02

/wp-content/uploads/2014/11/f1_593854.png

O banco Santander trabalha com os seguimentos G e H para disponibilizar as informações do DDA.  No seguimento G existe o campo código de movimento remessa que está na posição de 016 até 017.

Segue abaixo os códigos de movimento de remessa disponível no Santander:

01 = Entrada de Títulos sem agendamento

02 = Pedido de Baixa

09 = Protestar

31 = Alteração de Outros Dados

75 = Entrada de títulos bloqueados

76 = Entrada de títulos conforme convênio

O campo “código de movimento remessa” mais o campo “banco”, ”agencia” e “conta bancaria” será a ponte ligação do DDA com SAP ECC.

Configuração do DDA

Vamos acessar as transações de configurações pelo o seguinte caminho:

SPRO> IMG > Contabilidade financeira(nv.) > Contab.bancária > Transações contábeis > Pagamentos > Extrato eletrônico da conta-> Executar opções globais para o extrato de conta eletrônico

Para configurar o DDA é necessário criar uma regra de lançamento, essa operação não será contabilizada mas faz parte da configuração.

Criação de uma “Chave para regras de lançamento”.

“Criar chave para regras de lançamento”.

/wp-content/uploads/2014/11/f2_593918.png

A categoria de operação é utilizada para agrupar todos os códigos “movimento da remessa” que vem no arquivo retorno do DDA ou extrato eletrônico com suas respectivas regras de lançamentos no SAP ECC.

“Criar categoria de operação”.

/wp-content/uploads/2014/11/f3_593919.png

Uma vez que a categoria de operação está definida precisamos atribuir o código de movimento de remessa do arquivo DDA para o SAP ECC. Iremos utilizar o código de movimento remessa 76, que será vinculado com a regra do DDA.

“Atribuir código processo a regras contabilização”.

/wp-content/uploads/2014/11/f4_593920.png

Descrição dos campos relevantes:

Operação externa: Esse campo deverá ser igual aos códigos de movimento da remessa do arquivo do extrato DDA. Essa informação está disponível no seguimento G do arquivo na posição de 016 até 017.

Sinal: Sinal +/- do montante que entra da informação do banco, estamos usando o sinal “-“.

Regra Contábil:  Neste campo é informando a regra de lançamento para a sua contabilização.

Algoritmo de interpretação: É o algoritmo em substituição do SAP ECC, basicamente é modo de leitura das informações. Iremos usar o “Nenhuma interpretação”.

Tipo de planejamento transação: Não se aplica ao processo de DDA.

Tipo de processamento: Esse campo é usado para selecionar o tipo de processamento para seu objeto correspondente no SAP ECC, no caso do processo do DDA será “Brasil: entrada no documento e com dados brasileiros”.

Apesar do cenário de estudo estar tratando somente o código de movimento remessa 76 essas configurações podem ser adicionadas nas configurações já existente.

O Último passo para da configuração é atribuir a categoria de operação para sua conta bancaria.

“Atribuir contas bancárias a categorias de operação”.

/wp-content/uploads/2014/11/f5_593927.png

Processando o DDA

Para processar o arquivo do DDA utilizamos a transação FF_5, as informações que processamos ficam disponível na transação DDA_BR.

Na transação DDA_BR ficam todos os documentos com seus detalhes de processamento com sucessos ou erros.

“Transação DDA_BR”.

/wp-content/uploads/2014/11/f6_593928.png

Na transação DDA_BR temos os seguintes status.

S- sucesso.

/wp-content/uploads/2014/11/f7_593929.png

E- erro.

Detalhamento dos erros

C- CNPJ não corresponde;

D- Vencimento não corresponde;

A- Montante não corresponde;

V- Fatura não encontrada.

/wp-content/uploads/2014/11/f8_593930.png

Opções de processamento disponível na transação DDA_BR.

/wp-content/uploads/2014/11/f9_593931.png

   /wp-content/uploads/2014/11/p1_593932.png

Executa processamento manual dos registros.

  /wp-content/uploads/2014/11/p2_593933.png

Remover da tabela DDA os registros já processados ou com erro.

Para que o processamento do DDA seja efetivo e encontre os documentos de compras correspondente para atualização do código de barra no SAP ECC, a pesquisa é feita pelos seguintes campos: CNPJ, Data de vencimento, Valor Fatura e Número da Fatura.

Evitando erros

Na disponibilização do arquivo pelo banco com as informações do DDA, aconselho que venham somente informações referentes ao processo do DDA. Para que nenhum eventual erro de processamento gere impactos nos processos do extrato eletrônico.

Outro ponto importante é quando um código de movimento remessa não está configurado no SAP ECC na opção “atribuir código processo a regras contabilização” e esse código esteja contido no arquivo de retorno do DDA. Com isso, é gerado um erro de processamento semelhante a imagem abaixo e nenhuma informação do processamento do DDA é concluído.

“Erro de processamento”.

/wp-content/uploads/2014/11/erro_593934.png

Detalhes técnicos

A SAP disponibiliza nos programas “RFFOBR_DDA, RFFOBR_DDA_O00” com um “Enhancement point” RFFOBR_DDA_POINT para ser usado no tratamento de informação na hora do processamento das informações do DDA.

Conclusão

Foi descrito de forma pratica os passos necessários para configuração do DDA no SAP ECC, caso alguém encontre alguma divergência por favor informe para correção.

To report this post you need to login first.

18 Comments

You must be Logged on to comment or reply to a post.

  1. Marssel Vilaça

    Muito bom Artur!

    Essa é uma documentação bem organizada e precisa deste importante processo financeiro.

    O DDA é bastante utilizado em plataformas bancárias e muitas empresas sonham em ativar essa ferramenta dentro do SAP.

    Obrigado por compartilhar! 😉

    Gostaria de saber a opinião do Daniel Carvalho

    Ele fez uma publicação de uma interessante discussão sobre o assunto

    Brazilian Localization: DDA – Débito Direto Automático. Any words?

    (0) 
    1. Daniel Carvalho

      Olá Marssel e Artur,

      Também gostei do documento criado. Na experiência que tive com a implementação do DDA na empresa que trabalho utilizamos outro banco para oferecer os dados da Varredura, que foi o Citibank. Com este banco, tivemos algumas particularidades:

      a) O arquivo não era entregue na versão 084 (posições 164 a 166 da primeira linha), o qual foi necessário um trabalho de tradução feita por uma VAN (a qual é contratada pelo banco para realizar esta tradução, bem como do número da conta do banco).

      b) O arquivo não continha “dados 100%”. Quero dizer, muitos fornecedores, ao enviar os dados de cobrança, na referência deles, muitas vezes, não colocam o número da nota fiscal, o qual o SAP se utiliza (de maneira estandar) para realizar o reconhecimento da fatura. Isto foi um ponto de queixa dos usuários de Contas a Pagar (donos da transação DDA_BR), uma vez que eles duvidavam de que o processo traria algum benefício a eles.

      c) A entrega do arquivo é feita (até hoje) por uma aplicação chamada “citinetClient”. Esta aplicação (ao contrário da aplicação CISA – Conexão Inteligente SAntander) não funciona “standalone” em um servidor Windows ligado sem um usuário conectado. Ou seja, deveríamos ter um usuário conectado no servidor para que a aplicação funcionasse “standalone”. O que fizemos? Instalamos (isso mesmo) a tal da aplicação localmente em algumas máquinas de pessoas da Tesouraria (donos dos dados vindos do banco e que, em exceções, poderiam executar a transação FF.5) e, quando a máquina é ligada, automaticamente a aplicação é executada e o arquivo é obtido do ambiente do banco até o ambiente da empresa e depois existe um “script” (SAP roda em Linux) no SAP que busca o arquivo e o disponibiliza dentro do servidor SAP para o processo em “job” da transação FF.5

      Sobre os pontos de configuração, eu não associei nenhuma regra contábil na questão do código do processo. Pelo que vi da solução SAP, o mais importante é ter no código do processo o tipo de processamento “11 – Brasil entrada no documento e com dados brasileiros”.

      Ah, e também fizemos implementações nos “Enhancement Points” disponibilizados pela SAP para melhorar a forma como os dados eram gravados na tabela que é lida por detrás da transação DDA_BR, bem como adicionado um algoritmo de interpretação para um melhor reconhecimento das faturas dos fornecedores vs. boletos eletrônicos (por exemplo, uma fatura que é emitida por um CNPJ xx.xxx.xxx/0002-xx pode ter a sua cobrança feita pelo CNPJ xx.xxx.xxx/0001-xx. Neste caso, simplesmente desconsideramos o identificador de matriz/filial e dígitos verificadores e comparamos se o CNPJ raiz estava ok, se sim, desmarcamos o caso como erro).

      Espero ter colaborado.

      Atenciosamente,

      Daniel

      (0) 
      1. Marssel Vilaça

        É Daniel, existe muitas variações de processo. Por isso muitos até hoje utilizam na plataforma do banco mesmo, pois as vezes complica mais do que ajuda.

        Valeu pela contribuição!

        (0) 
      2. Henrique Santos

        Daniel, parabéns pelo doc!

        Referente ao particularidade “c”, o Citibank também disponibiliza o Portal Corporate – Download manual do arquivo – como forma de transmissão do arquivo do DDA.

        Abraço,

        Henrique

        (0) 
  2. Eduardo Chagas

    Muito bom o docto! Parabéns e obrigado por compartilhar!

    Curiosidade… existe algum idoc standard ou a carga pode ser feita somente pela FF_5?

    Abraço

    Eduardo Chagas

    (0) 
    1. Marssel Vilaça

      Edu, a FF.5 (ou FF_5) possui formatos específicos de arquivos. Já vi funcionar algo com o formato multicash. Depois dá pra definir uma contabilização com base no arquivo importando.

      abraço

      (0) 
    2. Artur Paulino da Silva Cardoso Post author

      Eduardo,

      Nesta nota abaixo descreve o formato multicash, espero que ajude!

      SAP Note Number 36833

              Multicash Format (auszug.txt and umsatz.txt)

             RFEBKA00, FF.5, mulitcash, RFEKA200, bank statement, electronic

       

      Um Abraço

      Artur

      (0) 
  3. Alexandre Santiago

    Boa tarde a todos.

    Nossa empresa está aderindo ao DDA Bradesco.

    Nos nossos testes, não estamos conseguindo gerar uma remessa no SAP, no layout PAGFOR-Bradesco com as instruções necessárias autorizando  ao Bradesco o pagamento dos títulos.

    Alguém trabalha em alguma empresa que aderiu a algum banco e que o SAP gera esta remessa corretamente.

    De acordo com o manual PAGFOR-Bradesco “

    O cliente que aderiu ao DDA poderá utilizar o processo de alegação mediante o envio de arquivo remessa, informando se Reconhece (Aceita) ou Não Reconhece (Não Aceita) a divida junto ao Cedente. “

    obs.: pelo que pude ver o SAP só lê o arquivo do DDA, pela FF_5, e grava a linha digitável na fbl1n e envia o título com modalidade 31 (títulos de terceiro). No caso da aderência há algumas particularidades a serem informadas e uma delas é a modalidade que deve ser 30 (Exclusivo para o arquivo de rastreamento).

    Abraço,

    Alexandre..

    (0) 
  4. Rodrigo Simon

    Olá artur,

     

    Seguindo os seus passos para a configuração do DDA santander, e tenho algumas duvidas, se puder me ajudar. Segue:

    1 -No ponto de “Criar categoria de operação” é colocado para criar uma categoria nova, porém no nosso caso, já existe a configuração para o Santander, com a combinação de operação , conta bancária e chave do banco, e como as duas últimas são chaves na tabela, não conseguimos criar mais uma.

    2 – Utilizando o que já existe, tive que excluir uma regra que já existia na combinação operação externa e regra de contabilização, veja:

    Tive que excluir a regra BRJC (-) que utilizava a operação externa 01.

    3 – De que forma esta trabalhando na questão do “numero do documento de cobrança” que é validado com o campo XBLNR na BKPF, porém o campo no arquivo Varredura do fornecedor nunca é igual a referencia no SAP.

     

    Rodrigo Simon

    (0) 
    1. Artur Paulino da Silva Cardoso Post author

      Rodrigo, bom dia.

      No ponto 1 – Você pode usar a mesta categoria.
      No ponto 3 – Você terar usar Enhancement point” RFFOBR_DDA_POIN para fazer tratamento dos dados
      por um programa ABAP.

      Um Abraço
      ARtur

      (0) 
  5. Artur Paulino

    Boa tarde, Pessoal.

    Mais uma nota de extrema relevância.

    2032491 – RFFOBR_DDA: Document not found because the selection was done based on the incorrect fiscal year

    Um Abraço

    Artur

     

    (0) 

Leave a Reply