Skip to Content

Pessoal hoje irei comentar um pouco sobre uma situação que muitos de nos já passamos como, analista, consultor, lider de equipe, e hoje como gerentes de projetos possivelmente também cometemos o mesmo erro ou muitas vezes não encontramos o equilíbrio para gerir esta situação, que é mais importante para o sucesso de um projeto:

Ter um gerente de projeto técnico com pouca experiência na gestão de pessoas ou um gerente sem conhecimento técnico, porém com grande vivência na gestão de pessoas? Esse talvez seja um dos grandes dilemas e erros de muitas consultorias  na escolha da pessoa certa para o gerenciamento de projetos  SAP ou estratégicos dentro das empresas.


Algumas pessoas entre elas usuários, consultores,  afirmam que sem um bom relacionamento pessoal a gestão de projetos não funciona e o sucesso do projeto estará comprometido.

Sem dúvida, um gerente de projeto precisa ter boas habilidades interpessoais, saber gerir conflitos, ter inteligência emocional, liderança, boa comunicação, conhecer técnicas de negociação e saber como fazer coaching.  Além dessas características pessoais é  requerido do gerente de projetos  conhecimentos em metodologia, ter forte disciplina para garantir o cumprimento de prazos e qualidade dos produtos entregues e conhecimento técnico.


Nos meus 12 anos de profissão conheci alguns gerentes de projetos que reuniam todas essas características, entretanto, convenhamos nem todas as empresas podem arcar com os custos de profissional dessa categoria. Desta forma, temos que analisar a complexidade e características de cada projeto para definir o melhor perfil do gerente do projeto.


O PMBok numa nova visão dá maior ênfase na “humanização” e, conceitualmente, define três dimensões interdisciplinares na gestão de projetos:


     1- Conhecimento das práticas e conhecimento na área de gerência de projetos na minha opinião e fundamental para humanizar e definir prazos plausíveis em projetos SAP.

     2- Conhecimento de práticas ligadas à aplicação do projeto; conhecer os modulos ajuda e muito…

     3- Conhecimento e experiência em práticas de gestão geral, tais como montagem e gestão de equipes, tomada de decisão entre outras, infelizmente na montagem de equipe muitas vezes dificil ja que atuamos na maioria das vezes com equipes ja formadas.


A combinação dessas dimensões resulta na boa gestão dos projetos, mas como decidir qual a que deve ter mais peso? A resposta está na complexidade e propósito do projeto.

Analisando o quadro abaixo podemos classificar os projetos de acordo com seu tamanho e complexidade.

Quadrantes-de-Complexidade-de-Projetos.gif

Por tamanho, consideramos os investimentos, a quantidade de atividades que devem ser realizadas e o número de pessoas envolvidas.

Por complexidade, consideramos a especialização das atividades, o inter-relacionamento entre as atividades e a transformação cultural que o projeto provocará.

Vários são os fatores que levam na definição do perfil do gerente do projeto. Não irei descrever todas as alternativas, mas citarei alguns como exemplos:

Q1 = baixa complexidade e tamanho reduzido. Nesse quadrante o melhor perfil é conhecer as técnicas ligadas à aplicação do projeto. Isso além de reduzir o custo do projeto, uma vez que o gerente deve definir a maior parte do escopo deve também atuar como executor do projeto. Com equipes pequenas converge-se para um consenso mais rapidamente.

Q2 = alta complexidade e tamanho reduzido. Nesse quadrante já é necessário aplicar técnicas de gestão de projeto para garantir a qualidade do produto a ser entregue. Em projetos de alta complexidade exigem-se técnicos altamente especializados com conhecimento especifico que devem estar documentando todas as fases do projeto, garantindo a manutenção futura do produto. O perfil recomendado para esses projetos é conhecimento das práticas ligadas à aplicação do projeto e conhecimento de técnicas de gestão de projetos.

Q3 = alta complexidade e tamanho elevado. Nesse quadrante são necessárias todas as dimensões propostas pelo PMBoK, ou seja, conhecimento de práticas de gestão de projetos, conhecimento das práticas ligadas à aplicação do projeto e práticas de gestão geral. Caso não seja possível encontrar em uma única pessoa essas características deve-se formar um equipe com pessoas que possuem cada uma essas características.

Q4 = baixa complexidade e tamanho elevado. Nesse quadrante a recomendação é a escolha de um gerente de projeto com habilidade em práticas de gestão geral e conhecimentos de gestão de projeto, com forte ênfase na primeira habilidade uma vez que ele pode contratar serviços especializados em gestão de projetos e especialistas nas práticas ligadas à aplicação do projeto.

Para encerrarmos o assunto, o perfil do gerente de projeto está ligado à complexidade e ao tamanho do projeto.

Embora, cada vez mais é requerido ao gerente de projeto maiores habilidades no relacionamento interpessoal e uma maior “humanização” na gestão dos projetos.

Best Regard’s

Gilberto Disessa Junior

To report this post you need to login first.

1 Comment

You must be Logged on to comment or reply to a post.

Leave a Reply